Mesmo com a pandemia, profissão de corretor de imóveis cresce 60% no País

1 de setembro de 2021 - Notícias

É crescente a busca dos brasileiros pela casa própria, por investimentos imobiliários ou por novos imóveis. O mercado imobiliário registrou crescimento de 26% em 2020 de acordo com a Associação Brasileira de Incorporadoras Imobiliárias (Abrainc) e projeta crescimento superior a 30% para este ano. O cenário favorável também impulsionou a profissão de corretor de imóveis.

De janeiro a agosto de 2021, cerca de 2.467 novos corretores de imóveis obtiveram o registro no Conselho Regional de Corretores de Imóveis (CRECI) para atuar na profissão. Um crescimento de 60% em novos profissionais do setor no país comparado ao mesmo período do ano passado. Com diversas imobiliárias, construtoras e empreiteiras espalhadas no Brasil, a profissão tem contribuído cada vez mais na movimentação da economia do país.

Hoje, ser corretor de imóveis ou atuar no mercado imobiliário é uma opção com grandes possibilidades de ascensão financeira. É um setor que projeta mais crescimento para os próximos anos.  Segundo a última pesquisa da Datastore, empresa de pesquisas para o mercado imobiliário, o índice de intenção de compra nos segmentos popular, médio padrão e alto luxo em todo o país chega a 29%. Os números indicam que mais de 14,5 milhões de famílias têm intenção de adquirir um imóvel nos próximos 24 meses.

Como ingressar na profissão

Para ser um corretor de imóveis é necessário passar por cursos de formação antes de ser habilitado pelo Creci para exercer a profissão.  Hoje, o mercado oferece cursos técnicos de transações imobiliárias. O profissional também pode ser um tecnólogo na área.

Com status de curso superior, os cursos técnicos duram dois anos. Há ainda a possibilidade de buscar outras especializações como o de perito imobiliário e avaliador imobiliário.